Bem-vindos abençoados leitores!

Nosso objetivo é estudar e divulgar artigos para reflexão de todos aqueles que tem no sentido de tua existência: fazer o bem e seguir aquele que é a essência do verdadeiro amor e santidade: Jesus Cristo! Abraços em Cristo!








asjhasjhajs
asjhasjhajs
asjhasjhajs
asjhasjhajs

Renato Silveira, lança 2ª edição do livro sobre Maria! Saiba mais, clicando na imagem.

Renato Silveira, lança 2ª edição do livro sobre Maria!  Saiba mais, clicando na imagem.
Livro: Quem é Maria para nós?

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

1º Dogma: Maternidade Divina



Maternidade Divina -  mãe de Deus.


Se paira ainda alguma dúvida sobre Maria ser realmente mãe de Deus, aqui tentaremos esclarecer com alguns argumentos principais. o próprio Deus preparou-a como Sua mãe. Essa questão deve ser resolvida com o foco voltado para a essência de Jesus. Primeiramente devemos considerar que Jesus nunca foi meio homem e meio Deus, nem nunca foi duas pessoas ao mesmo tempo. Ele é verdadeiro homem e verdadeiro Deus(João 5, 20). Logo, Maria é mãe de Jesus que possui as duas naturezas - humana e divina. Deus pôde escolher sua mãe, pois Ele é todo poderoso. Se formos considerar algumas indagações que ela seria mãe somente da “carne” de Jesus, então ainda podemos afirmar que a carne de Jesus não morreu, pois ressuscitou. Então, Maria permanece como mãe do verbo encarnado, porque a carne existe, vivo está Jesus.
Nas palavras de Santa Isabel também é fato constatar a sua maternidade divina: “mãe de meu Senhor”(Lc 1, 43) e também em Mt 1, 23 que diz o anjoEis que a Virgem conceberá e dará à luz um filho, que se chamará Emanuel, que significa: Deus conosco.
Em uma de suas aparições famosíssimas,
em Guadalupe (Mexico), Maria afirma ao índio que é mãe do verdadeiro Deus. Com isso, não há a menor dúvida quanto a veracidade de ser mãe de Deus. Deus a fez como sua mãe, as graças de Deus são derramadas por Maria, o Verbo se fez carne, através de Maria. Sacrário vivo de Jesus, Maria foi a primeira a receber o corpo de Cristo, em si mesma.

Os três reis magos também fizeram o seguinte comentário na manjedoura: “viemos adorar ao rei”(Mateus 2,2), portanto ela é mãe do rei dos reis, único adorado.
O fundador do protestantismo, Matinho Lutero, afirmou em uma de suas cartas: “o artigo que afirma que Maria é mãe de Deus está em vigor na igreja desde o começo,e o Concílio de Éfeso não o definiu como novo, porque é uma verdade já sustentada no Evangelho e na Sagrada Escritura”.
As palavras "Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó" Do anjo e "Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei" de Paulo(Lucas 1,32; Gálatas 4,4) sustentam com muita firmeza que Maria é verdadeiramente a Mãe de Deus. Se não acreditarmos que Maria é mãe de deus, logo não estaremos acreditando na divindade de Cristo.


Quando rezar Ave Maria então, reze com bastante convicção: Santa Maria Mãe de Deus!

Este dogma foi declarado em 431 d.c. no Concílio de Éfeso.



Deus abençoe, na proteção de Maria!

Autor: Renato Silveira



Leia também (outros artigos do autor):



Por que rezamos Ave-Maria?
Católicos adoram imagens?
Intercessão dos santos
Sobre Canonização dos Santos













4 comentários:

Vitor Ribeiro disse...

Viva Maria, Mãe do meu senhor.

Vitor Ribeiro disse...

Como fez Isabel, mãe de João Baptista, assim faço eu.
Belo artigo.

everton disse...

minha mãe, eu não sei como seria sem essa fé em ti!!
Sou felizz pq sou de uma religião que não é orfã!!
parabens pelo blog

Vecchio, L. disse...

Muito obrigado Everton!! A Paz de Cristo esteja contigo, e continue acompanhando nosso blog!! Muito obrigado

 
Cotidiano Espiritual. Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul Tested by Blogger Templates.