Bem-vindos abençoados leitores!

Nosso objetivo é estudar e divulgar artigos para reflexão de todos aqueles que tem no sentido de tua existência: fazer o bem e seguir aquele que é a essência do verdadeiro amor e santidade: Jesus Cristo! Abraços em Cristo!








asjhasjhajs
asjhasjhajs
asjhasjhajs
asjhasjhajs

Renato Silveira, lança 2ª edição do livro sobre Maria! Saiba mais, clicando na imagem.

Renato Silveira, lança 2ª edição do livro sobre Maria!  Saiba mais, clicando na imagem.
Livro: Quem é Maria para nós?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

JULGAR: falar do próximo

JULGAR: FALAR DO PRÓXIMO



Tomo a liberdade de refletir, com este texto, sobre o ato de falar do próximo. Apóio-me na visão de que todo ser humano é único, porém inacabado, ou seja, constrói, desenvolve-se a cada dia por meio das situações que vivencia.

Quando falamos sobre alguém, pressupõe-se que construímos um conhecimento sobre essa pessoa. Tal processo é comum, pois é uma característica humana buscar conhecer e compreender tudo o que envolve nossa vida direta e indiretamente. Entretanto, o grande desafio está em sermos humildes e inteligentes a ponto de não considerarmos nossos conhecimentos, os quais nos esforçamos para construir, como verdades absolutas e únicas, renunciando à vaidade do conhecer e da compreensão plena para darmos lugar à vontade e ao olhar iluminado por Deus diante das pessoas e fatos.

Jesus disse: “Não julgueis, e não sereis julgados. Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos. (Mateus 7, 1-2).  Tal ensinamento é algo mais profundo do que um simples “falar de alguém”. Quantas vezes julgamos em nossos pensamentos sem partilhá-los com alguém e, posteriormente, vemos quão grande foi nossa injustiça e quão diferente está ou é essa pessoa em relação ao que havíamos pensado em tempos anteriores? Dessa forma oculta, estamos também deixando o ensinamento de Jesus de lado, mesmo sem exterioriza-lo.
Quantas vezes nos arrependemos do que pensamos e falamos, mas em nossa mente, o orgulho nos permite ainda pensar: “Bom, agora mudo minha visão porque “fulano” mudou, naquela época estava certo de dizer aquilo. Será?

Cometemos erros, muitos erros com nossos julgamentos. O temor aos ensinamentos de Deus bastaria para nossa mente se calar e nossa língua não pecar no exercício de proferir conceitos construídos de forma fechada e limitada sobre alguém, independente de serem construtivos ou destrutivos.

"Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu? Como ousas dizer a teu irmão: Deixa-me tirar a palha do teu olho, quando tens uma trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão”. (Mateus 7, 1-5).

Por meio da nossa razão é possível perceber que, pelo temor e obediência aos ensinamentos de Deus, Ele quer, antes de tudo, não nos permitir ser traídos pelos nossos próprios atos, diante de atitudes que nos condenará e nos ridicularizará por meio de palavras e conceitos fechados e proferidos sobre alguém, pois esse “alguém” está em plena construção de sua existência assim como nós estamos em processo de construção de vida, de humanidade e crescimento, cometendo erros e acertos.

Além do temor, Deus nos incentiva à humildade. A humildade nos faz reconhecermo-nos limitados sobre nossos conhecimentos. Se nós mesmos não nos conhecemos completamente (nossos limites, reações, sentimentos, etc.), “quem dirá” conhecer o outro a ponto de falar com propriedade do mesmo.

Alguns teóricos dizem que as pessoas são, no mínimo, vistas de três dimensões: o que pensam que são, o que os outros pensam que são e aquilo que realmente são. Saberíamos dizer o que pensam que somos? Impossível sabermos isso de todos que falam sobre nós, mas podemos ter alguns resquícios de respostas. E o que pensamos que somos? Isso talvez tenhamos conhecimento. E o que realmente somos? Essa resposta em sua plenitude pertence a Deus.

Por mais que tentemos compreender a verdade sobre alguém, muito nos escaparia. Uma multidão não conseguiu enxergar sequer um valor naquela mulher adúltera que seria apedrejada (cf. João 8, 3-11). Somente Jesus conseguiu atingir um conhecimento pleno daquela mulher, reconhecendo-a em sua totalidade e não somente por alguns fatos que cometera. Cristo enxergou o seu valor, o seu coração, a sua verdade. E com o seu olhar e sua misericórdia não somente a fez acreditar novamente em si própria como fez também os que condenavam perceberem-se em sua totalidade, portanto, também como pecadores.
Por que somente Cristo enxergou a verdade plena? Porque Ele é a Verdade e a Vida (cf. João 14,6). Por isso as pessoas que buscam a Deus preenchem, pouco a pouco, o vazio de suas vidas, por estar em sintonia com aquele que é a vida e a verdade, que nos deu a vida e que nos conhece plenamente.

Todavia, por mais próximo dos ensinamentos e da vontade de Deus que seja nossa trajetória de vida, ainda não conheceremos totalmente a Deus (enquanto estivermos em nossa vida terrena). Com isso, a nossa verdade e, consequentemente, a verdade plena sobre o outro ainda não será possível. Só será possível no regresso de Cristo (I Tessalonicenses 5,23) a nós. “Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá”. (I Coríntios 13,10).

A moção humana em conhecer a verdade, a nossa essência, nossa missão e o por que de nossa existência bem como a verdade sobre os outros é extremamente importante para percebermos o quanto em Deus podemos ter muitas respostas e sermos guiados pelos caminhos da vida plena. Mas é preciso que essa busca incessante de todo homem caminhe junto com a humildade e o temor a Deus para que nossas palavras e julgamentos não nos traiam e condenem.
Para utilizarmos de nossa expressão, não seria melhor falarmos sobre situações e julgarmos fatos ao invés de julgarmos pessoas, as quais em situações diversas expressam-se diferentemente e a cada dia se modificam e crescem por meio de suas vivências?

Que Deus nos conceda a humildade de nos enxergarmos pequenos e limitados diante da Verdade, que busquemos crescer em espírito e sabedoria por meio da busca diária e incessante da verdade em Deus, amando o próximo como a si mesmo e deixando o julgamento para aquEle que o saberá realizá-lo baseado nas verdadeiras Verdade e Justiça.

“Pois como o Pai tem a vida em si mesmo, assim também deu ao Filho o ter a vida em si mesmo, e lhe conferiu o poder de julgar, porque é o Filho do Homem”. (João 5, 26-27).


O olhar de Cristo esteja a cada dia mais em nossos corações e ações,
Reflita, se possível, na letra da música abaixo,
Deus abençoe,

Luciane Vecchio

Leia também:
Letra e Vídeo da MÚSICA: Humano Demais


Eu fico tentando compreender / O que nos teus olhos pôde ver / Aquela mulher na multidão
Que já condenada acreditou / Que ainda havia o que fazer / Que ainda restara algum valor
E ao se prender em teu olhar / Por certo haveria de vencer
E assim fizeste a vida / Retornar aos olhos dela / E quem antes condenava / Se percebe pecador
Teu amor desconcertante / Força que conserta o mundo / Eu confesso não saber compreender
Sou humano demais pra compreender / Humano demais pra entender / Este jeito que escolheste
De amar quem não merece / Sou humano demais pra compreender / Humano demais pra entender / Que aqueles que escolheste / E tomaste pela mão /
Geralmente eu não os quero do meu lado
Eu fico surpreso ao ver-te assim / Trocando os santos por Zaqueu / E tantos doutores por Simão
Alguns sacerdotes por Mateus / E, mesmo na cruz, em meio à dor / Um gesto revela que tu és
Te tornas amigo do ladrão / Só pra lhe roubar o coração
E assim foste o contrário, / O avesso do avesso / E por mais que eu esforce
Não sei bem se te conheço / Tu enxergas o profundo / Eu insisto em ver a margem
Quando vês o coração / Eu vejo a imagem












1 comentários:

Ana carolina nascimento sousa disse...

Enquanto formos diferentes de Jesus em santidade, teremos sempre um degrau a subir rumo ao Céu!
Que Ele seje o nosso guia, ou melhor, O Caminho!(os degraus de santidade)

 
Cotidiano Espiritual. Design by Wpthemedesigner. Converted To Blogger Template By Anshul Tested by Blogger Templates.